Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mitologia em Português

Mitologia em Português

07 de Agosto, 2019

Thanos [da Marvel] e a Mitologia Grega

Quem gostar de comics certamente que sabe que são muitas as figuras heróicas e vilãs baseadas em mitos da Antiguidade - o Thor nórdico é um dos exemplos mais óbvios, mas existem igualmente heróis associados à Atlântida (como Aquaman), um filho de Anteu, e daí por diante. E isso pode gerar uma questão... Será que Thanos, um famoso vilão das histórias da Marvel, foi retirado dos mitos gregos?

Thanos

Na verdade, e para quem estiver curioso, não existe qualquer figura significativa na Mitologia Grega que se chame mesmo "Thanos", mas ele foi baseado num mito grego. Passamos a explicar - o seu nome em Grego seria Θάνος, e os Gregos conheciam uma figura chamada Θάνατος, cuja semelhança com o nome deste vilão é óbvia.

 

E quem era Θάνατος, mais conhecido em Português como Tânato ou Tânatos? Uma personificação da morte, que até tem um papel menor em diversos mitos. Agora, essa interrelação entre os dois nomes poderia até parecer uma mera coincidência, não fosse o facto de nas bandas desenhadas existir uma história muito famosa em que Thanos se apaixona por uma personificação da morte, aí chamada "Senhora Morte", cujo amor ele pretendia conquistar sacrificando-lhe metade das criaturas vivas do universo.

 

Assim, Thanos não é uma figura da Mitologia Grega, mas tem uma parte significativa das suas raízes nos mitos da Grécia Antiga. E esta, hem?!

~~~~~~~
Gostas de mitos, lendas e literatura? Podes seguir-nos no Twitter, no Facebook (novo), ou receber as nossas novidades no teu e-mail de uma forma simples, rápida e gratuita!

07 de Agosto, 2019

A origem dos gigantes

David e Golias

Se já cá falámos de diversas origens, esta apresenta-se como potencialmente mais simples que as anteriores. Desde o Golias do Antigo Testamento, até aos muitos gigantes das histórias de cavaleiros e donzelas, passando pelos Γίγαντες dos mitos gregos e latinos e alguns Jötnar nórdicos, quase todas as mitologias e religiões fazem referência à existência de "gigantes", seres que são quase como nós mas de maior estatura. Por isso, de onde vem essa ideia? Será que eles realmente existiram, num tempo já há muito passado?

 

A resposta pode ser tanto positiva como negativa. Sempre existiram seres humanos de estatura maior que o normal (por exemplo, Robert Wadlow, o maior homem de que temos registo, tinha 2.72m de altura), mas a ideia também parece provir da descoberta de diversos esqueletos de dinossauro. Eles existem por todo o mundo e sabemos que uma confusão de identificações teve lugar ao longo dos séculos.

Por exemplo, são diversas as fontes gregas e latinas que atestam que, após um terramoto, foram encontrados esqueletos enormes no interior do solo, que vão sendo identificados como heróis do passado (sempre de grande estatura!), ou como monstros serpentinos (e.g. aquele que Perseu derrotou para salvar Andrómeda).

Face a identificações como essas, torna-se fácil conseguir acreditar que algo de semelhante possa também ter tido lugar noutras culturas, levando a uma crença intercultural relativa a um tempo em que estes supostos gigantes viviam quase lado-a-lado com seres humanos como nós.

~~~~~~~
Gostas de mitos, lendas e literatura? Podes seguir-nos no Twitter, no Facebook (novo), ou receber as nossas novidades no teu e-mail de uma forma simples, rápida e gratuita!

05 de Agosto, 2019

Como sabemos que a Terra gira em volta do Sol?

Modelo Geocêntrico vs Modelo Heliocêntrico

Como todos nós aprendemos nos tempos de escola, existiu um período de tempo em que as pessoas pensavam que a Terra estava no centro do Universo. Depois apareceu Copérnico, que parece ter sido o primeiro a postular a ideia de que, afinal de contas, no centro do nosso Universo estava era o Sol. Esta comparação dos dois modelos pode ser vista na imagem acima, mas deixa-nos uma questão - afinal de contas, como é que Nicolau Copérnico descobriu isto?

 

A sua obra mais famosa, Da Revolução das Esferas Celestes, não é um texto simples. De facto, em busca de uma resposta à questão anterior encontrámos algumas referências a ela como "o livro que ninguém leu", possivelmente pela complexidade matemática que apresenta. Mas, felizmente para todos nós, uns anos antes o mesmo autor escreveu também um texto conhecido como Pequeno Comentário, em que apresenta a sua teoria de uma forma muito breve e simples.

 

E então, afinal de contas, como chegou Copérnico à sua teoria heliocêntrica? Simplificadamente, pegou nas medições dos muitos autores que o antecediam, como Cláudio Ptolomeu, e acabou por se aperceber de um problema - para esses autores, o movimento das esferas celestes não era uniforme. Em vez disso, os planetas moviam-se de uma forma muito inconsistente, como na imagem seguinte:

Geocentrismo

Em seguida, ele apercebeu-se que, em alternativa, se o Sol estivesse no centro do Universo todo este complexo modelo poderia ser muito simplificado - todas as medições que tinham sido feitas antes continuariam a bater certo, mas com um movimento das esferas celestes muito mais consistente e sucinto, em que todos os planetas se moviam de uma forma exclusivamente circular em torno de um mesmo centro, como pode ser visto na imagem abaixo.

Sistema Solar

Se esta explicação até poderá parecer simples, o que Nicolau Copérnico fez no seu livro Da Revolução das Esferas Celestes foi provar, matematicamente, que existia uma alternativa ao modelo dos Antigos, e que esta permita simplificar bastante o modelo que até então era seguido. Mais do que postular que cada planeta tinha o seu movimento individual, como antes, o seu modelo permitia compreender que todos os planetas tinham um mesmo movimento circular. Infelizmente, essa possibilidade também implicava vir a dizer que a Terra tinha de perder o seu lugar cimeiro no centro do Universo, algo que a Igreja de então não levou muito bem, condenando injustamente a teoria deste autor...

~~~~~~~
Gostas de mitos, lendas e literatura? Podes seguir-nos no Twitter, no Facebook (novo), ou receber as nossas novidades no teu e-mail de uma forma simples, rápida e gratuita!

02 de Agosto, 2019

"Apuleio transformado em asno", de Juan de la Cueva (1587)

Burro de Ouro

Hoje pensávamos cá trazer, finalmente, a tradução do Comentário à Eneida de Sérvio, mas por diversas razões isso terá de ficar para outra altura. Em alternativa, aqui fica algo mais inesperado - há algum tempo foi-nos pedida uma tradução da obra vulgarmente conhecida como O Burro de Ouro, mas esse texto já existe em língua portuguesa, tanto de Portugal (da autoria de Delfim Leão) como do Brasil (da autoria de Ruth Guimarães).

Porém, essa mesma obra teve uma influência significativa na cultura literária ocidental. Entre os textos e poemas inspirados por ela conta-se Apuleio Convertido en Asno, da autoria de Juan de la Cueva (1587). Decidimos então traduzir esse poema para língua portuguesa, e o resultado pode agora ser encontrado aqui.

~~~~~~~
Gostas de mitos, lendas e literatura? Podes seguir-nos no Twitter, no Facebook (novo), ou receber as nossas novidades no teu e-mail de uma forma simples, rápida e gratuita!

Pág. 2/2

© Copyright do Texto, 2004-2020 Autores de Mitologia.pt
As imagens são, salvo informação em contrário, retiradas da internet e alojadas em imgBB.