Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mitologia em Português

24 de Agosto, 2020

A lenda do Lagarto da Penha de França

Contar a lenda do Lagarto da Penha de França transporta-nos para um local muito singular da capital de Portugal. De entre as muitas freguesias lisboetas conta-se uma chamada "Penha de França", que obteve o seu nome da respectiva padroeira, a (espanhola) Nossa Senhora da Penha de França. Agora, quem for ao local, muito próximo da igreja que tomou esse mesmo nome poderá encontrar nas paredes do local a referência a uma breve lenda:

Pode então aqui ser visto um enorme lagarto, o chamado "Lagarto da Penha de França", e por baixo dele, a contornar toda a curva, está um resumo da respectiva lenda, numa curiosa iniciativa que seria certamente interessante repetir em muitos outros locais de Lisboa:

Reza a lenda que um devoto adormeceu na colina. Nesse momento, ao ser atacado por uma cobra, eis que um lagarto surgiu em seu auxílio por intercessão de Nossa Senhora da Penha de França.
É, quase sem tirar nem pôr, esta a história associada ao local, existindo apenas uma pequena variação em algumas versões, que dizem que não terá sido um lagarto a aproximar-se do devoto, mas sim uma qualquer espécie de réptil maior, até porque um animalzinho pequenino dificilmente assustaria alguém. Também, diz-se que no interior da igreja pode ser vista uma representação do animal a que se refere esta lenda do Lagarto da Penha de França, mas não nos foi possível atestar essa presença actual em tempo útil. Por isso, se alguém estiver nas proximidades e o puder verificar por nós, por favor envie-nos um comentário abaixo!
Gostas de mitos, lendas, livros pouco conhecidos e curiosidades? Podes receber as nossas publicações futuras por e-mail!
24 de Agosto, 2020

O mito de Babel (e a Torre de Babel)

O mito de Babel refere-se, essencialmente, a uma antiga cidade que se acredita que existiu no Crescente Fértil, ou seja, numa região que era irrigada pelos rios Jordão, Eufrates, Tigre e Nilo. Hoje não sabemos se essa antiga cidade verdadeiramente existiu, ou se se trata de um mero mito judaico (e, posteriormente, cristão), mas a grande razão da sua fama nos dias de hoje prende-se com a história de um edifício que se acredita que existiu nessa cidade, e que teve o nome de Torre de Babel.

O mito de Babel e da Torre de Babel, à esquerda

O mito de Babel, ou da Torre de Babel (possivelmente representada acima, na carta de tarot do lado esquerdo), conta-nos então que após o dilúvio universal (i.e. o famoso episódio da Arca de Noé), todas as pessoas vieram a falar uma mesma língua, que alguns crêem ter sido uma forma antiga do Hebraico. Unidas por esse pensamento e linguagem comuns, decidiram trabalhar juntos e construir uma enorme torre, pela qual esperavam conseguir tocar os próprios céus e Deus. Porém, esta divindade, por razões que não são totalmente claras no texto, decidiu destruir essa torre, antes de separar todas as pessoas em várias línguas distintas, para que jamais pudessem voltar a colaborar da mesma forma. Assim, jamais poderiam vir a construir uma nova torre, ou aspirar a tocar os céus como um dia o tinham feito.

 

O mito de Babel é, sem qualquer dúvida, o da Torre de Babel. Esse é um ponto assente, mas ele procura explicar o porquê de, se todos nascemos de um mesmo pai e mãe - Adão e Eva, segundo o pensamento alegórico judaico e cristão - como foi possível que nascessem várias línguas e as pessoas, supostamente irmãs, deixassem de conseguir comunicar entre elas.

 

Mas terá esta famosa torre existido? Será que o mito de Babel, ou uma possível lenda da Torre de Babel, têm um fundo de verdade? Já não sabemos onde terá sido essa cidade, de uma forma mais precisa, mas ao longo dos tempos criou-se a ideia de que este famoso edifício se poderá ter tratado de um zigurate na região da Mesopotâmia, uma espécie de pirâmide com várias plataformas, cujo tempo e diversos eventos históricos foram destruindo por completo; mais que isso já não nos é possível saber, neste momento...

Gostas de mitos, lendas, livros pouco conhecidos e curiosidades? Podes receber as nossas publicações futuras por e-mail!
24 de Agosto, 2020

Três feitiços estranhos do Livro de São Cipriano

Para prosseguir este tema sequencial achámos que poderíamos deixar por cá três feitiços estranhos do Livro de São Cipriano. Como antes, cuidado, algumas das coisas mencionadas nestas linhas poderão ofender os mais sensíveis.

Rectângulo para ritual

Para obrigar as senhoras a dizerem o que fizeram ou o que irão fazer, o feitiço passaria então pelo seguinte - "Juntar o coração de um pombo com a cabeça de um sapo, secá-los e reduzi-los a pó. Colocar esse pó num saquinho, juntamente com um pouco de almíscar. Colocar esse saco debaixo da almofada da pessoa, e ela logo irá revelar o que se pretende saber. [Mas cuidado!,] Poucos minutos depois o saco deve ser removido, ou a pessoa poderá morrer com uma febre cerebral."

 

Como causar um aborto? Bem, quando faltar um período a uma mulher e ela achar que pode estar grávida, basta-lhe colocar os pés em água muito quente, "o mais que possa suportar", e supostamente o período depressa virá! Será que isto funciona? Não recomendamos o teste!

 

Para terminar estes temas, como se poderá saber se uma pessoa nos é fiel? É  bastante simples, basta realizar-se o seguinte ritual - "Faz-se na terra uma cova com a profundidade de dois pés. Deita-se no interior 30 libras de enxofre em pó, 30 de limalha de ferro, e água suficiente, todos muito bem misturados. Coloca-se sobre esta mistela o retrato da pessoa envolvido em couro, ou um papel com o nome dela. Cobre-se o buraco com a terra, devendo ser dito 'Cipriano, pelo teu saber de mágico e pela tua virtude de santo, faz com que eu saiba se [nome aqui] me é fiel.'" Mas ainda não acabou, as indicações continuam - "Passadas 15 horas essa terra começará a expelir labaredas e cinzas. Se o retrato for consumido, é porque a pessoa está apaixonada [por outra pessoa, supõe-se]; se ele for poupado, é porque a pessoa é fiel. Se o retrato ficar dentro da terra, é porque a pessoa tem simpatia por alguém; se for atirado a uma pequena distância, é porque está a tentar terminar uma relação; se for atirado para longe, é porque a pessoa vem de volta para quem a chama."

 

Como antes, deixamos a quem acreditar nestas coisas a tarefa de as testar, se assim o desejarem.

Gostas de mitos, lendas, livros pouco conhecidos e curiosidades? Podes receber as nossas publicações futuras por e-mail!