Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mitologia em Português

Mitologia em Português

07 de Agosto, 2020

A lenda de Martim Moniz

Podemos introduzir a lenda de Martim Moniz com uma pequena história - em Lisboa, quem apanhar o metro da cidade poderá, sem muita dificuldade, cruzar-se com a estação que vai pelo nome de Martim Moniz. Depois, no interior dessa estação, mesmo próximo da linha de transporte, quem prestar a devida atenção poderá encontrar uma plêiade de figuras cavaleirescas - desde dois bispos, até aos mais diversos guerreiros e ao próprio Dom Afonso Henriques - que representam diversos momentos emblemáticos da lenda da conquista de Lisboa aos Mouros, que teve lugar em 1147. Identificar cada uma das várias figuras ultrapassa os nossos objectivos de hoje, pelo que nos focamos especificamente num dos momentos mais emblemáticos, o relativo à lenda de Martim Moniz, a mesma figura que deu o seu nome à própria estação.

Cavaleiro preso entre as portas

Como é fácil reconhecer, pode aqui ser visto um cavaleiro a tentar cruzar um espaço limitado, que - como indicam as duas setas brancas no topo da imagem - se movem com a intenção de fechar. A figura humana é, como já foi dito, o herói de toda esta história, que segundo a respectiva lenda possibilitou a conquista da cidade usando o seu próprio corpo para impedir que duas portas se fechassem; depois, os seus companheiros de batalha aproveitaram este sacrifício e utilizaram-no para entrar na cidade, eventualmente conquistando-a aos Mouros. Ou, pelo menos, é isto que diz esta famosa lenda de Portugal.

 

Mas terá ela um qualquer fundo de verdade? Não encontrámos qualquer referência a este episódio nas fontes da época, em particular na epístola De expugnatione Lyxbonensi (e apenas uma vaga referência à Porta de Martim Moniz, que podia já existir no castelo um século mais tarde), em que o castelo nem é conquistado mas apenas se rende, sendo muito provável que se trate de uma história puramente mítica, até porque nem se sabe muito bem quem terá sido este Martim Moniz. Se Afonso Henriques até tinha um aio chamado Egas Moniz, que se crê ter falecido em 1146, seria este Martim um seu familiar? Não sabemos - o que sabemos, isso sim, é que a ser uma figura completamente real, aparece somente neste único episódio da conquista da cidade e desaparece logo depois, supondo-se que tenha morrido nessa altura, pagando o preço da conquista (lendária) da cidade com a sua própria vida.

~~~~~~~
Gostas de temas como este? Podes seguir-nos no Twitter, ou receber as nossas novidades no teu e-mail de uma forma simples, rápida e gratuita!