Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mitologia em Português

26 de Junho, 2020

A lenda de Tawara Toda

Ontem, contámos um mito japonês que até se poderia confundir com tantos outros da Europa. A lenda de Tawara Toda mostra-nos o contrário, uma história provinda das terras do sol nascente mas significativamente diferente das ocidentais. Por isso, recordemos a lenda associada a esta figura:

 

Originalmente chamado Fujiwara no Hidesato, enquanto se preparava para cruzar uma das muitas pontes existentes no Japão este herói encontrou um terrível dragão. Mas, mais do que o combater, quando o viu no local limitou-se a passar-lhe por cima, cuidadosamente, para não o acordar. Pouco depois foi-lhe revelado que essa era uma criatura mágica (a identidade varia mediante a versão consultada), que face à coragem demonstrada pediu a ajuda do herói - por perto existia uma enorme centopeia, que destruía tudo por onde passava, e que muito incomodava os habitantes de um reino místico. Feliz por poder ajudar, prontificou-se ao combate.

Tawara Toda e a centopeia

O herói apenas tinha três flechas consigo. Atirou a primeira, que apesar de atingir a centopeia no meio da cabeça, não a magoou. Disparou uma segunda, atingindo-a novamente num local que deveria ter sido mortal, mas sem qualquer efeito real. E então, antes de lançar o seu derradeiro ataque, lembrou-se que lhe tinha dito que as centopeias eram fracas contra o cuspe humano; humedecendo assim a ponta da sua flecha, atingiu o espaço que separava os dois olhos da criatura, fazendo-a sofrer as maiores dores. E, depois, aproximou-se e cortou-a em mil pedaços.

Felizes com tal milagre, os habitantes do reino místico local depressa o recompensaram. Deram-lhe um conjunto de ítens mágicos, o mais famoso dos quais foi um saco que dava ao seu portador arroz sem fim, graças ao qual Fujiwara no Hidesato passou a ser conhecido como Tawara Toda.

 

O que esta lenda tem de mais notável é uma espécie de inversão de algumas convenções ocidentais, em que o dragão é uma figura que necessita de ajuda, mais do que um opositor, enquanto que uma centopeia - para os ocidentais, uma criatura completamente inócua - acaba por ser o monstro da trama. Porque teria um dragão medo de uma simples centopeia seria difícil de compreender para os ocidentais, mas é em momentos como esses que podemos apreciar as diferenças culturais constantes em muitas histórias provindas dos quatro cantos do mundo...

Gostas de mitos, lendas, literatura ou curiosidades?
Recebe as nossas publicações futuras por e-mail - é gratuito e poderás aprender muitas coisas novas!