Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mitologia em Português

05 de Agosto, 2022

A Solução Final da Questão Judaica e a sua chocante origem

Esta origem da Solução Final da Questão Judaica, que dá título ao tema de hoje, é provavelmente o tema mais chocante que já aqui abordámos. Na verdade, se alguém nos tivesse contado o que vamos relatar um pouco mais abaixo, diríamos ser mentira. Só podia ser, salvo a existência de provas muito grandes em contrário. E se o mito de Hitler ter sido Judeu já parecia estranho, o que agora descobrimos, por completo acidente, é mil vezes mais chocante. Portanto, para o tema de hoje, completamente impróprio para os mais sensíveis, comece-se com uma breve história de como fomos trazidos a este tema, seguido pelo inesperado desfecho que ele teve.

Adolf Hitler a cores

Há mais de dois anos falámos aqui sobre um livro de título Did Six Million Really Die? É um de muitos livros proibidos hoje em dia, daqueles que tendem a negar a existência do Holocausto na Segunda Guerra Mundial e outras coisas estranhas como essas. Fomos encontrando outros, como The Myth of German Villainy, o que até nos levou, em dada altura, a tentar explicar, numa perspectiva histórica, porque os Judeus são odiados. Mas, por muito que fossemos falando sobre esses temas, existia sempre uma enorme dúvida que continuava a pairar nas nossas cabeças - como foi possível que os Alemães matassem tantos Judeus? Não consideravam eles, ou mesmo até o próprio Adolf Hitler, ter à sua frente seres humanos de carne e osso? Como conseguiam os nazis explicar, no interior das suas cabeças, a abominável barbaridade que estavam a cometer, naquela que ficou conhecida como a Solução Final da Questão Judaica?

 

Em busca de respostas concretas, fomos então procurar fontes primárias pouco recomendadas a leitores comuns (importa frisar que por requisitarmos um livro desses até fomos acusados de ser neonazis). Fomos lendo publicações de diversos autores nazis, mas se eles mencionavam muito repetidamente um antissemitismo que já esperávamos encontrar, nenhum deles argumentava que se devessem matar todos os Judeus. Não conseguimos, até uma certa data, encontrar qualquer referência directa a isso nas obras de Adolf Hitler, de Joseph Goebbels, de Alfred Rosenberg, ou de seja quem fosse dentro do Partido Nazi. Expulsá-los para outro lado, impedi-los de continuar a viver na Alemanha e/ou na Europa, dar-lhes o seu próprio país, e outras coisas semelhantes, sim (!), sem qualquer dúvida, mas não parecia existir, em inícios do ano de 1941, qualquer plano horrendo por parte deles como o que agora se associa à Segunda Guerra Mundial e se designa por Solução Final da Questão Judaica!

 

Não conseguíamos compreender o que se passava, ao longo das fontes primárias que fomos lendo. Era completamente estranho, porque, com base na cultura popular, esperávamos encontrar um momento em que tudo isso mudasse, um instante em que, por exemplo, Adolf Hitler fizesse um discurso em que pela maior glória da Alemanha, da raça ariana e do Nazismo instava os seus seguidores a matar tudo quanto é Judeu, mas nunca encontrámos isso. Até que, pelo mais completo acidente, encontrámos um pequeno livro de que já ninguém parece falar. Parece hoje ser sempre muito omitido em toda esta história da Segunda Guerra Mundial, o que ainda torna o que encontrámos muito mais chocante.

Germany Must Perish!

Auto-publicado em Fevereiro de 1941 por Theodore N. Kaufman (um judeu nascido nos Estados Unidos da América e que se identificava como "Presidente da Federação Americana da Paz"), este Germany Must Perish! é um livro contra a guerra na Europa. E isso nada teria de especial, certamente que foram escritos muitos outros na mesma altura, mas o que o torna digno de nota aqui é a sugestão abominável que o seu autor faz na obra. Nunca pensámos vir a dizer ou a escrever as palavras que se seguem, mas neste livro......... Kaufman diz que os Alemães são as causas de todas as guerras deste mundo, e então sugere que, a bem de uma eterna paz mundial, todos os homens com menos de 60 anos e todas as mulheres com menos de 45 aí nascidos passassem por um processo de completa esterilização, para assim exterminar completamente e para sempre toda a raça alemã (será que isso também incluía os Judeus nascidos nesse país? Não é claro). Numa entrevista posterior, chegou até a dizer que isto não tinha problema nenhum, que era muito fácil de se implementar na prática...

 

É uma ideia doentia, macabra, independentemente de quem a escreveu. Mas se ainda não acham isso suficientemente horrendo, tenha-se também em conta que o seu autor chega a argumentar que é provável que 20% dos Alemães não tivessem qualquer culpa nas guerras, mas que sacrificá-los em prol da sobrevivência dos soldados estrangeiros que iriam morrer em guerras futuras era completamente aceitável. E ainda diz outras coisas que tais - um dos capítulos finais tem literalmente o título de "Death to Germany". Ainda não estão suficientemente chocados? Vamos então a uma citação da obra em questão, em que o autor justifica o plano referido acima:

Firstly, no physical pain will be imposed upon the inhabitants of Germany through its application, a decidedly more humane treatment than they will have deserved. (...) Secondly, execution of the plan would in no way disorganize the present population nor would it cause any sudden mass upheavals and dislocations. The consequent gradual disappearance of the Germans from Europe will leave no more negative effect upon that continent than did the gradual disappearance of the Indians upon this. (...)

Aqui, num breve momento das 100 páginas da obra, o autor começa pela ideia de esterilizar todos os Alemães, e depois até termina referindo, desta forma tão casual, que eles fazem tão pouca falta na Europa como os Nativos Americanos fizeram nos EUA. E isto é horrendo!!!

A Solução Final da Questão Judaica

Mas... mas a triste verdade é que esse livro veio para a Europa, foi lido por Hitler e Goebbels, existem provas de que ambos o acharam completamente abominável... e foi nele que depois se parecem ter inspirado para a chamada Solução Final da Questão Judaica. Não sabemos até que ponto acreditaram mesmo na obra, mas no mínimo fingiram acreditar na ideia de que esse plano de destruição completa da Alemanha existia mesmo. E dado o antissemitismo da época, é muito provável que se tenham aproveitado de toda a situação, como um dos diários de Goebbels parece sugerir, quando diz:

This Jew did a real service for our side. Had he written this book for us, he could not have made it any better. I will have this published in an edition of millions for Germany and above all for the front, and will write the forward and afterward myself.

Aparentemente, e para os nazis, a obra parecia provar aquela "famosa" conspiração judaica mundial, até porque o seu autor se identificava como "Presidente da Federação Americana da Paz" e tinha amigos no poder nos EUA. Nesse sentido, não sabemos se a ideia de matar todos os Judeus já existia antes, mas a verdade é que, segundo conseguimos apurar (e, acreditem, procurámos como nunca por provas em contrário), ela não está atestada de uma forma indúbia antes da publicação deste livro.

Ainda pensámos que pudéssemos estar errados, que o livro só tivesse sido escrito em consequência das primeiras grandes mortes judaicas em campos de concentração, mas a realidade é que existem provas que o livro em questão já era lido na Alemanha em Julho de 1941, as famosas "estrelas" com que os Judeus se deviam identificar foram apenas implementadas em Setembro de 1941, mas a execução prática da chamada Solução Final Para a Questão Judaica data apenas já dos primeiros meses de 1942. E, se ainda não forem provas suficientes, deixe-se claro que nos Julgamentos de Nuremberga alguns nazis atribuíram o que tinham feito especificamente a este livro, tornando o argumento aqui apresentado difícil de refutar.

 

Ou seja, trocando por miúdos, os Nazis apenas parecem ter começado a matar Judeus de forma sistemática como resposta ao conteúdo completamente doentio da obra Germany Must Perish! Não sabemos até que ponto esta foi uma verdadeira causa-efeito, ou se os nazis apenas reapreoveitaram este livro para fazer vingar um plano que já podiam ter antes, mas há algo aqui que é impossível de refutar - este Germany Must Perish! é um livro macabro, foi lido por Hitler e Goebbels, e teve um impacto profundo nos eventos que tiveram lugar durante a Segunda Guerra Mundial, sendo repetidamente citado como uma prova de que, para os Alemães comuns, era tudo uma questão de matar ou morrer, por acreditarem, em virtude desta obra da autoria de um judeu, que se perdessem a guerra toda a sua raça ia ser completamente exterminada!

Algo completamente horrendo...

E... isto é pesado. Quando começámos a procurar uma resposta à nossa questão, relativamente ao porquê de estas atrocidades terem acontecido na Segunda Guerra Mundial, não suspeitávamos que fossemos encontrar algo tão horrendo como o descrito acima. Este é, ou pelo menos devia ser, um espaço para investigação e divulgação de coisas que pouca gente sabe, mas nunca esperámos encontrar algo que, de forma cumulativa, fosse tão inesperado quanto inquietante. Isto é chocante demais, porque, relembrando o que um jornalista americano escreveu sobre todo o tema em 1942:

No man has ever done so irresponsible a disservice to the cause his nation is fighting and suffering for than [Theodore] Nathan Kaufman. His half-baked brochure provided the Nazis with one of the best light artillery pieces they have, for, used as the Nazis used it, it served to bolster up that terror which forces Germans who dislike the Nazis to support, fight and die to keep Nazism alive...

Por isso, talvez seja mesmo esse o último segredo de Adolf Hitler - que a ideia da famosa Solução Final da Questão Judaica nem foi toda dele, mas em parte de um homem, um tal Theodore N. Kaufman, que nascido nos Estados Unidos da América e de ascendência judaica, um dia banalmente publicou um livro em que sugeria exterminar todos os Alemães.

 

 

E agora iremos tirar algum tempo de "férias", porque descobrirmos isto foi mesmo demais para nós, a nível psicológico...

Gostas de mitos, lendas, livros antigos e muitas curiosidades?
Recebe as nossas publicações futuras por e-mail - é grátis e irás aprender muitas coisas novas!