Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mitologia em Português

Mitologia em Português

As estranhas cabeças dos deuses do Antigo Egipto

Não é preciso perceber-se muito sobre estes temas para reconhecer que existem elementos característicos em todas as mitologias. Por exemplo, os santos cristãos têm auréola; os deuses gregos podem transformar-se; os deuses índicos reencarnam múltiplas vezes; e os deuses do Antigo Egipto tinham estranhas cabeças de animais.

Parada de deuses egípcios

Talvez essas estranhas cabeças dos deuses egípcios tenham nascido de uma necessidade de preservar sob forma humana a sua divinização dos animais. Talvez tenham nascido de visitas de extraterrestres. Talvez tenham vindo de mitos já há muitos perdidos (já voltaremos a esse tema). Não sabemos qual é a resposta correcta, mas o que sabemos, sem qualquer dúvida, é que quando imaginamos um qualquer deus do Antigo Egipto, fazemo-lo com corpo humano mas cabeça de animal. Agora, catalogar todas essas cabeças dos deuses seria difícil, até porque variam (i.e. um deus não tem sempre a mesma cabeça), mas o que poucos parecem saber é que os atributos dos deuses são frequentemente dois - a cabeça de animal e outro elemento  a ela externo.

 

Olhando para a imagem acima, o deus Rá pode ser visto com cabeça de falcão, mas igualmente com um círculo solar engolido por uma cobra, relembrando o mito de Apófis. O deus Sobek, com cabeça de crocodilo, tem uma espécie de coroa com duas penas de avestruz, por razões que já desconhecemos. Thoth tem cabeça de íbis, juntamente com o círculo lunar sobre a sua cabeça.

 

Mas de onde vêm todas essas ideias? Porque têm estes deuses do Egipto tanto cabeças de animais como outros atributos? Já não se conhece qualquer mito que o explique, mas existe uma pequena pista nos mitos da Grécia - quando Tífon atacou o Olimpo, é-nos dito que os vários deuses fugiram para o Egipto e adoptaram a forma de animais, de que o exemplo dos peixes é o mais famoso. A ideia permitia um sincretismo religioso, mas pode igualmente levar-nos a considerar que terá existido um tempo em que os deuses ainda não tinham as suas estranhas cabeças, tendo-as recebido após algum episódio mítico hoje perdido.

 

Será verdade? Será que o mito grego preserva parte de um mito egípcio hoje esquecido? Não sabemos, até porque, por definição, um "episódio mítico hoje perdido" implica que não tenhamos qualquer acesso a ele. O que sabemos, no entanto, é que como já foi dito acima os deuses do Antigo Egipto não tinham sempre as mesmas estranhas cabeças. Os deuses e as suas formas variavam, evoluíam, como é natural numa cultura que se prolongou por vários milénios.

 

Talvez seja essa a grande lição a retirar destas linhas, o facto de, numa cultura que subsistiu por vários milénios como a do Antigo Egipto, não se dever esperar uma consistência horizontal inesgotável. Mais do que dizer que Sobek tinha cabeça de crocodilo e Anubis a de um chacal, é mais correcto dizer-se que um dos atributos desses deuses é o facto de, em dadas alturas, serem representados com as estranhas cabeças desses animais.

~~~~~~~
Se gostam destes temas podem ir recebendo as nossas novidades, de forma rápida e gratuita, introduzindo o vosso e-mail abaixo e confirmando a subscrição: