Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mitologia em Português

Hoje em dia puta tem um significado bastante conhecido, e que se prende essencialmente com o grande nome que é dado em Portugal a uma mulher promiscua, vulgo uma prostituta, alguém que vende relações sexuais por dinheiro. Porém, por mais estranho que isto nos possa parecer, Puta também parece ter sido uma deusa romana que presidia à poda das árvores. Só é mencionada por Arnóbio, no seu Contra as Nações, sendo provável que essa informação tenha vindo de uma famosa obra de Varrão que já não chegou aos nossos dias. Nada mais nos é dito sobre esta figura mitológica, mas - sem qualquer apoio de informação real - alguns autores parecem considerar que as sacerdotisas desta deusa se prostituíam, o que supostamente teria levado ao seu uso pejorativo ao longo dos séculos. Mas têm esses autores razão? 

Uma puta?

A resposta é um ressonante "não!", não só pela falta de informação real que apoie essas ideias, mas também pelo próprio contexto da referência na obra de Arnóbio - surge numa sucinta referência a diversas divindades, como Peta (deusa das preces), Patelana e Patela (deusas das coisas reveladas e ainda por revelar) ou Noduterense (deus associado à separação do grão), entre outros. Nada mais nos é dito sobre cada uma dessas figuras divinas dos Romanos, sendo apenas dadas por mero exemplo - o autor continua o seu argumento apontando a estranheza que é ter divindades associadas a todas as coisas - "Osílago, que dá aos ossos a sua solidez, não teria nome [se não existissem ossos]? (...) Existem deuses encarregados de coisas que ainda não foram criadas?"

Em suma, tratando-se Arnóbio de um autor cristão, se a esta deusa fosse associado um culto com contornos sexuais, certamente que isso também seria mencionado na sua obra, até para poder criticar ainda mais o Paganismo - mas nunca o é!

 

Mas então, qual é mesmo a origem e significado da nossa palavra portuguesa "puta"? Um dicionário consultado diz que esta palavra tem "origem controversa", mas devemos apontar que em Latim até existiam as palavras putus e puta, que podiam significar "puro/pura/puras" (provavelmente num sentido de castidade) ou "homem jovem". Faria, nesse último contexto, sentido construir o seu feminino como puta, para significar uma "mulher jovem" (ou rapariga, como dizemos em Portugal). Mas será então possível que a palavra latina, com um sentido original de uma mulher jovem e/ou casta, tenha ao longo dos séculos obtido um sentido satírico, até acabar por derivar na significação pejorativa que tem nos dias de hoje? É possível que sim - se não o sabemos com certeza absoluta, podemos é afirmar, sem quaisquer dúvidas, que o seu significado nos nossos dias não provém de qualquer culto, potencialmente sexual, de uma obscura deusa romana, como muitos dizem erradamente!

Gostas de mitos, lendas, livros pouco conhecidos e curiosidades? Podes receber as nossas publicações futuras por e-mail!