Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mitologia em Português

Mitologia em Português

20 de Abril, 2021

Resumos da Ilíada de Homero na Antiguidade

A intenção de procurar e ler resumos da Ilíada de Homero é provavelmente quase tão antiga como a fixação por escrito da tradição oral das próprias obras homéricas. Por isso, pelas mais diversas razões, ao longo dos séculos tanto os Gregos como os Romanos foram criando diversas versões sintéticas das duas obras atribuídas a esse antigo poeta, numa tradição continuada que foi chegando aos nossos dias em obras simplificadoras e adaptadas como as de Frederico Lourenço. Assim, o que apresentamos aqui hoje e em seguida são dois desses resumos deste poema épico, um deles de autoria grega e outro provindo do tempo dos Romanos, ambos em tradução para o Português dos nossos dias, e de uma forma tão simples que nem precisam de um PDF para os ler.

Homero e os resumos da Ilíada

O primeiro destes dois resumos da Ilíada (nome que tem por significado algo como "A Canção de Ílion*"), vem da Antologia Grega. Associa a cada um dos livros dessa obra uma letra grega (ideia, e divisão em 24, que parece vir do tempo de Pisístrato, com uma consequência estranhamente curiosa**), mas, ao mesmo tempo, também nos reconta, de uma forma curiosa e muito breve, o conteúdo dos seus livros, da seguinte forma:

1- As rezas de Crises, a praga, e a zanga dos reis.

2- O sonho, o concílio, e [o catálogo dos] navios.

3- O combate dos dois maridos de Helena.

4- O concílio dos deuses, a quebra dos juramentos, o início da luta.

5- O filho de Tideu [i.e. Diomedes] fere Citereia [i.e. Afrodite] e Ares.

6- A conversa entre Heitor e Andrómaca.

7- Ájax luta contra Heitor.

8- O concílio dos deuses, a vitória dos Troianos, a vangloriação de Heitor.

9- A embaixada a Aquiles.

10- Homens de ambos os lados do conflicto vão em missão de reconhecimento.

11- Os homens de Heitor ferem os Gregos mais importantes.

12- A muralha dos Aqueus cai pelas mãos dos Troianos.

13- Poseidon dá, secretamente, a vitória aos Gregos.

14- Hera engana Zeus através do amor e do sono.

15- Zeus zanga-se com Poseidon e Hera.

16- [A lança de] Heitor mata Pátroclo.

17- Gregos e Troianos lutam em redor do corpo.

18- Tétis leva a Aquiles armas feitas por Hefesto.

19- Aquiles abandona a sua cólera e junta-se ao combate.

20- Luta entre os deuses, que traz vitória aos Gregos.

21- Aquiles derrota os Troianos perto do rio, através da sua força individual.

22- Aquiles mata Heitor depois de o perseguir por três vezes em redor da muralha.

23- Aquiles celebra jogos com os Gregos [i.e. os jogos funerais de Pátroclo].

24- Aquiles aceita presentes e dá a Príamo o corpo do [respectivo] filho.

Um resumo da Ilíada na Tabula Capitolina

Agora, este segundo resumo da Ilíada vem da chamada Tabula Capitolina, e encontra-se inserido num conjunto de imagens relativas ao Ciclo Troiano e à Guerra de Tróia. Assinalado a verde na imagem acima (retirada de um livro do século XIX), até para que consigam entender o contexto em que surge todo o relato, ele diz-nos então o seguinte:

Os Aqueus fazem uma muralha e um fosso em redor dos navios. Quando ambos os lados estão armados e preparados para o combate, os Troianos seguem os Aqueus até à muralha e nessa noite acampam perto dos navios. Os chefes dos Aqueus decidem, depois de terem deliberado, enviar alguém a Aquiles. Agamémnon dá-lhe muitos presentes e Briseis. Aqueles que são enviados para ele, Ulisses e Fénix, e além deles Ájax, dão a Aquiles a mensagem de Agamémnon, mas ele não aceita os presentes, nem a reconciliação, ou mesmo ajudá-los.

Ao ouvirem isto, os chefes enviam como espiões Ulisses e Diomedes. Eles, depois de encontrarem Dolon, que tinha sido enviado como espião por Heitor, aprendem através dele a formação daqueles que guardam o acampamento, matam-no e a Reso (dos Trácios), e a muitos outros juntamente com eles. Capturando as éguas de Reso, levam-nas para os navios. Quando o dia vem, eles juntam-se à batalha, em que os chefes que foram feridos - Agamémnon, Diomedes, Ulisses, Macaão e Eurípilo - se retiram para os navios.

Pátroclo, enviado por Aquiles, pergunta a Néstor novidades sobre a batalha. Heitor, depois de destruir as portas para o exército, aproxima-se da muralha dos Gregos e junta-se à batalha próximo dos navios. Quando a batalha se tornou mais perigosa, Aquiles, depois de ouvir por Pátroclo as novidades, e de este lhe pedir para o enviar para perto dos navios, quando viu o barco de Protesiau, enviou Pátroclo com os Mirmidões, dando-lhe os seus cavalos e armando-o com a sua própria armadura. Quando o viram todos os Troianos fugiram imediatamente.

Durante este ataque Pátroclo matou muitos outros, em particular Sarpédon, filho de Zeus, mas segue os outros até à muralha [troiana]. Heitor, tendo esperado por ele, mata-o e obtém a posse da armadura. Enquanto a batalha em redor do corpo continua, Antíloco anuncia a Aquiles [... esta sequência não está legível, mas é anunciada a morte de Pátroclo...] Tétis vai a Hefesto e pede-lhe uma armadura completa. Ele faz uma para ela. Os Aqueus transportam o corpo de Pátroclo para os navios.

Depois da armadura ter sido trazida por Tétis, Agamémnon dá Briseis a Aquiles. Este, depois de perseguir Asteropeu até ao [rio] Escamandro, mata-o. Aquiles, depois de escapar ao perigo no rio, luta contra Heitor em combate individual, mata-o, tira-lhe a armadura e, depois de ligar o seu corpo à biga, arrasta-o pelos campos até ao navio. Depois de sepultar Pátroclo, conduz em sua honra alguns concursos entre os chefes. E Príamo, indo aos navios, resgata Heitor de Aquiles. Depois de Príamo voltar à cidade os Troianos sepultam o herói e preparam o seu túmulo.

 

Se estes são, como até nem poderia deixar de ser, dois exemplos de resumos da Ilíada com um carácter muito redutor da obra original e do combate entre Gregos e Troianos, permitem-nos constatar quais eram, pelo menos para os escritores das respectivas linhas, os episódios mais significativos de toda a obra da Grécia Antiga. Não são, como é evidente, resumos perfeitos dos poemas homéricos, mas deixam-nos aceder, de uma forma muito sucinta, ao que vai tomando lugar ao longo da obra, para benefício tanto dos leitores de outros tempos, como para aqueles que queiram ter acesso a um resumo do poema épico nos nossos dias de hoje.

 

*- Ílion é outro dos nomes dados a essa antiga cidade de Tróia.

**- Uma curiosidade, como sabemos que um Homero foi o autor de ambos os poemas épicos? Segundo o comentador Apião, do primeiro século da nossa era, podemos ter a certeza disso porque as duas primeiras letras da Ilíada, na palavra μῆνιν, significavam o número 48 em Grego (o número total de cantos de ambos), numa espécie de criptograma homérico que atestava que tinha sido ele a escrever ambas. Porém, mesma na Antiguidade esta ideia não era levada muito a sério, e só nos chegou porque foi citada numa das epístolas de Séneca quase na brincadeira...

~~~~~~~ ~~~~~~~ ~~~~~~~
Gostas de mitos, lendas, livros pouco conhecidos e curiosidades?
Podes receber as nossas publicações futuras por e-mail ou no Twitter!
~~~~~~~ ~~~~~~~ ~~~~~~~