Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mitologia em Português

O mito de Adónis narra uma simples ligação desta figura mitológica com uma possível crença na existência de uma vida após a morte. Infelizmente, ao mesmo tempo este também é um daqueles mitos assolados por muitas versões diferentes, que apenas mantêm um traço principal. Por isso, segue-se um pequeno resumo do mito, mas que também tenta evitar os pontos mais conflituosos abrangidos pelas diversas versões.

Adónis e o javali

Após o nascimento, Adónis foi recolhido por Afrodite. Esta deusa do amor, encantada com a enorme beleza do jovem, teve depois de o enviar para o reino de Hades , no qual também Perséfone passou a admirar a beleza deste.
Incapazes de escolher com quem ficaria o jovem, que aqui parecia não ter opinião própria, ambas as figuras divinas decidiram consultar Zeus. O deus dos deuses decidiu então que ele passaria quatro meses com cada uma das deusas, tendo também um terço do ano para si próprio.
Com ciúmes , um outro habitante do Olimpo enviou um javali, que viria a matar Adónis. Do sangue deste jovem nasceria uma nova flor, a Anémona , e um rio.

Apesar de relativamente simples nesta sua forma muito basilar, este mito apresenta-nos uma crença significativa na existência de vida após a morte. O jovem Adónis, ao ter a possibilidade de ir ao submundo e voltar por diversas vezes, demonstra-nos a possibilidade da morte e reencarnação cíclica do ser humano, mas também nos recorda outros mitos muito mais antigos, como aquele em que a deusa Ishtar desceu ao submundo pelo seu amado Dumuzid. É até provável, mas não completamente certo, que o mito grego desta figura seja uma transposição para a cultura dos Gregos dessa famosa história da Mesopotâmia, mas isso já será um tema que, apesar de fascinante, terá de ficar para um outro dia.

Gostas de mitos, lendas, livros pouco conhecidos e curiosidades? Podes receber as nossas publicações futuras por e-mail!

1 comentário

Comentar post