Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mitologia em Português

10 de Novembro, 2021

"Poema Ultimum" e "Carmen ad senatorem"

Hoje, falamos aqui do Poema Ultimum e da Carmen ad senatorem ex Christiana religione ad idolorum servitutem conversum quase no seguimento de uma publicação anterior, sobre a Carmen Contra Paganos, já que todas essas três composições poéticas têm um mesmo espírito por detrás delas, procurando convencer os seus antigos leitores a abandonarem as religiões pagãs em favor do Cristianismo, após o período de ascensão da nova religião que principiou no tempo de Constantino o Grande.

"Poema Ultimum" e "Carmen ad senatorem"

Nesse contexto, o Poema Ultimum, outrora atribuído a São Paulino de Nola, menciona algumas das fraquezas das religiões ditas pagãs, referindo, por exemplo, as muitas transformações de Júpiter para seduzir o sexo feminino, o facto de este deus ter casado com uma irmã, ou reduzindo os deuses como Jano a meros reis de outros tempos, para mostrar as muitas fraquezas das antigas divindades e do seu culto. Depois, continua mostrando o quão fantástica e perfeita a nova religião é, como é comum em quase todos estes poemas de apologia cristã.

 

Já a Carmen ad senatorem ex Christiana religione ad idolorum servitutem conversum, que é como quem diz um poema-carta a um senador de nome desconhecido que abandonou o Cristianismo para voltar aos ritos pagãos, é até um pouco mais interessante do que se esperaria, porque em vez de se referir ao Paganismo de uma forma muito geral (como no caso acima), foca-se numa situação muito específica, que devemos presumir ter sido real. Assim, mais do que se focar nas repetições sempre tão comuns nas apologias cristãs, o autor refere-se mais concretamente ao culto de Ísis, que tenta denegrir, supõe-se que pelo facto do senador ter agora adoptado essa religião. O autor tenta então convencer o político a ver o seu grande erro, instando-o a regressar à "boa" religião mais cedo ou mais tarde.

 

De um modo geral, este Poema Ultimum e esta Carmen ad senatorem ex Christiana religione ad idolorum servitutem conversum são curiosos representantes de um século muito específico, em que a religião cristã já era permitida mas ainda coexistia, de uma forma significativa, com os antigos cultos aos deuses. Como tal, convinha aos autores cristãos tentar convencer, desse por onde desse, ao abandono das antigas religiões, como estes poemas dos últimos século da Antiguidade ainda hoje nos podem mostrar...

Gostas de mitos, lendas, literatura ou curiosidades?
Recebe as nossas publicações futuras por e-mail - é gratuito e poderás aprender muitas coisas novas!