Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mitologia em Português

18 de Agosto, 2021

A lenda de Preste João das Índias

A termos de eleger apenas uma entre as histórias mais populares do tempo dos Descobrimentos, ela seria quase certamente a lenda de Preste João das Índias. Contudo, ela não é uma lenda puramente portuguesa, mas sim uma que nasceu em Roma e que ao longo dos séculos se foi propagando por toda a Europa e pelo mundo fora, sofrendo metamorfoses contínuas. Assim se compreende que ela tenha um cerne central, em redor do qual depois foram sendo adicionados novos elementos. Conte-se portanto essa lenda, até para que quem lê estas linhas possa julgar onde termina a realidade e começa a pura ficção.

A lenda de Preste João das Índias

Conta-se que em 1122 um misterioso "João", que se identificou como "Patriarca das Índias", foi a Roma e falou com o Papa Calisto II, contando-lhe as muitas maravilhas que existiam nas suas terras, num reino que disse ter sido fundada por São Tomé, o apóstolo enviado por Jesus Cristo para evangelizar a Índia, numa história então famosa dos (apócrifos) Actos de Tomé. Fosse só isto, estes eventos atestados em duas fontes literárias distintas, e a história depressa teria sido esquecida, mas em 1141 teve lugar a batalha de Qatwan, em que os Islâmicos sofreram pesadas derrotas, o que inspirou ainda mais a ideia de que existiria, algures em terras do Oriente, um local em que um poderoso monarca cristão tinha o seu reino - como ele ficou famoso como Preste João é algo sobre que existem muitas opiniões mas poucas certezas, até porque uma famosa carta latina associada a esta figura - aí já identificada especificamente como Presbiter Iohannes - depressa apareceu em terras europeias.

 

Depois, os anos foram passando e gerou-se uma nova ideia, de que "Preste João" não era, na verdade, um nome de um homem específico, mas sim uma espécie de título de nobreza, que era passado de homem para homem quando alguém ocupava o trono desse reino cristão. E isto foi gerando mais e mais lendas - algumas diziam que ele vivia algures em África, "na Etiópia", enquanto que outras lhe atribuíam uma sede em terras da Ásia. Umas diziam que ele tinha sido vencido e desterrado do seu reino, enquanto que outras lhe atribuíam um império perpétuo algures num dos locais que foram sendo descobertos pelos Portugueses. E, talvez mais que tudo o resto, alguns acreditavam nesta história, enquanto que outros também pareciam acreditar nela, mas diziam que os muitos milagres desse reino tinham sido demasiado exagerados no passado - séculos se foram passando até que só em meados do século XVIII começaram a aparecer as primeiras vozes discordantes, aquelas que negavam até a mais pequena pinga de verdade por detrás da lenda de Preste João das Índias.

 

Hoje, acreditamos que a lenda é apenas e puramente isso mesmo, uma lenda e nada mais. Mas em outros tempos acreditou-se verdadeiramente nessa possibilidade, nessa quase-certeza de que existia um enorme reino cristão no Oriente. Foi até essa uma das razões que inspirou a expansão ultramarina nacional - se existia um tal reino em terras da Índia, estabelecer relações com ele seria de enorme proveito para as potências ocidentais. Isto levou-as em busca desse reino, até que acabaram por se aperceber de que ele não podia ser encontrado em lado nenhum - reza até a história de que os navegadores Portugueses inquiriram, uma e outra vez, em terras de África se algum monarca conhecia este famoso rei, apenas para lhes ser respondido um sempre contínuo "não".

Um mapa das terras de Preste João?

Veja-se, por exemplo, este mapa do século XVI. Ele mostra parte da costa oriental de África - estão até uns elefantes na parte superior esquerda e a Arábia do lado direito - e todo o local é identificado como se tratando do império de um "Presbítero João", outros dos nomes dados à figura hoje aqui em questão. Mesmo que ele nunca tenha sido encontrado, vestígios como este, puramente históricos, atestam bem a sua popularidade contínua ao longo dos séculos - de facto, até o padre Francisco Alvares, que viveu nos séculos XV e XVI, quando falhou a tarefa de encontrar o famoso monarca, ainda intitulou uma sua famosa obra como Verdadeira informação das Terras do Preste João das Índias, por ser essa figura o grande e mais famoso referencial que a cultura europeia então tinha para as misteriosas terras do Oriente (ou da África ainda desconhecida).

 

E depois... ao longo do tempo, pela incapacidade contínua em se encontrar este seu reino, ele foi sendo esquecido, uma espécie de enigma que nunca foi completamente desvendado. Ainda hoje podem ser encontradas na internet muitas perguntas - em Inglês - como Where Did Prester John live? ou Was Prester John real? - foi ele real? E, em caso positivo, onde viveu? Se toda esta lenda começou em 1122, com um misterioso "João, Patriarca das Índias" que foi a Roma, procurar o reino do monarca é conseguir compreender quem foi esta misteriosa figura real, que acabou por gerar toda a grande lenda europeia. Mas ela, com excepção dessa passagem pela cidade eterna, parece ter sido esquecida. Seria um esquema maluco, uma falcatrua, como os falsos regressos atribuídos a Dom Sebastião? Em caso negativo, de onde vinha, afinal de contas, esse homem? Encontrar Preste João das Índias implicaria localizar a verdade por detrás do homem que gerou toda esta lenda, mas sobre o qual já quase nada sabemos...

Gostas de mitos, lendas, livros pouco conhecidos e curiosidades? Podes receber as nossas publicações futuras por e-mail!